terça-feira, 28 de setembro de 2010

Riacho Fundo - Fazenda Sucupira

O Bioma Cerrado


Texto extraído do Mapa Ambiental do Distrito Federal – Ano 2000

     O cerrado tem grande diversidade de clima, de solos e composições biológicas. Existem cerca de 11 biotas (flora + fauna) que coexistem sem se misturar ou permeando–se em faixas de transição de fitofisionomias. A sua biodiversidade pode ser comparada à amazônica. Essa diversidade de espécies está demonstrada pelos resultados obtidos em pesquisas realizadas nos cerrados do Distrito Federal, onde foram identificadas 1.700 espécie de plantas vasculares, somente para a Área de Proteção Ambiental (APA) DA Bacia São Bartolomeu.
     A composição florísticas dos diferentes tipos de vegetação do cerrado é apenas parcialmente conhecida: são cerca de 2.000 espécies de plantas nativas e mais de 270 espécies de gramíneas só no Distrito Federal. Muitas das espécies que ocorrem na área do Distrito Federal são vicariantes, ou seja, ocorrem em mais de uma fitofisionomias, tais como pombeiro, aroeira, buriti, peroba, carvoeiro, virola, marmelada, tingui, pau-de-tucano, angico, copaíba, ipê, gomeira, canela, faveiro, bacupari, frejó, pequi, mutamba, embiruçu e várias outras.
     A flora do DF tem um promissor potencial econômico com espécies forrageiras, medicinais, alimentícias, corticeiras, taníferas, melíferas, ornamentais e outras que são fixadoras de nitrogênio, importantes sob o ponto de vista agronômico.

Parque Ecológico e Vivencial do Riacho Fundo



     O Parque Ecológico e Vivencial do Riacho Fundo corresponde a uma área de 532, 24 hectares delimitada pela Granja Riacho Fundo, ao Norte, pelo regimento de Polícia Montada, a Estação de Tratamento de Esgoto, a chácara s/nº Dácia e a Colônia Agrícola Sucupira, a Leste; pela Fazenda Sucupira, ao Sul, e pela Fazenda Sucupira e Riacho Fundo II, a Oeste.
     Criado pela Lei n.º 1.705, de 13/10/1997, tem como objetivo garantir a diversidade biológica da fauna e flora locais, preservando o patrimônio genético das espécies e a qualidade dos recursos hídricos disponíveis; utilizar os componentes naturais locais para a educação ambiental; e proporcionar à população recreação e lazer, em contato direto com o meio ambiente, em harmonia com o ecossistema da região.
     Parte do Riacho Fundo, inclusive suas nascentes, situam-se no interior do parque. A área engloba grande extensão de mata, vegetação de Cerrado, pastos e bosques de espécies exóticas. A vegetação nativa está em bom estado de conservação. Existem diversos caminhos e estradas que cortam o parque, ligando os assentamentos citados, antigas chácaras de Granja Modelo e o Instituto de Saúde Mental.





Veja Também:

XIV Congresso Estadual de Educação do Sintep-MT

Parque Nacional Mato-Grossense



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado!

Postar um comentário

Postagens populares